DestaqueParauapebas

Abandonada pelo poder público, Parauapebas sofre com desemprego e qualidade de vida

A falta de emprego não afetou apenas quem perdeu a posição e busca uma nova vaga no mercado de trabalho. Quem está empregado também sofre com os efeitos da crise: 56% dos empregados estão acumulando funções e atividades de outras pessoas, e metade constatou que os colegas de trabalho estão com medo de perder o emprego.

“Para aqueles que conseguiram resistir ao corte e às demissões, há muita incerteza nesse momento. Quem está empregado acaba trabalhando sob pressão e com a desconfiança de que pode ser desligado a qualquer momento. Isto é ruim para o funcionário, que acaba produzindo menos, e também para a empresa, que pode ter uma equipe desmotivada e com baixa estima”, explica Carlos Silva, Gerente de empresa em Parauapebas.

Além da grande fila de desempregados em busca de empregos no Sine em Parauapebas, a qualidade de vida de muitos moradores da cidade, ainda é um sonho da população.

Na campanha para prefeito em 2016, Darci Lermen prometeu melhorar a saúde, revitalizar as praças e fazer serviço de tapa-buracos e asfaltar todas as ruas e avenidas da cidade, mas ao andar por Parauapebas  é fácil deparar a real situação de abandono. A beleza do município foi deixada para trás e tomada por vias esburacadas, matagais, pichações, obras inacabadas, reparos a serem feitos e espaços públicos abandonados.

Se a secretaria de obras fosse composta por pessoas técnicas com certeza a limpeza e os buracos das ruas e avenidas da cidade poderia estar em perfeita condições, é o momento do secretário de obras deixar seu gabinete e colocar as mãos na massa, pois a população de Parauapebas pede socorro urgente.

Desempregados buscando uma oportunidade no Sine, em Parauapebas
Parauapebas, lama e buracos

 

 

 

 

 

 

Fonte: Portal do Carajás Reportagem Thiago Formigão

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios