Bombeiro salva bebê que se afogou em leite materno no Pará

Uma ação rápida e decisiva do cabo do Corpo de Bombeiros José Carlos Marinho resultou em um final feliz na noite da última segunda-feira (29) para a vida de uma família em Marabá, no sudeste paraense, após uma recém-nascida que se afogou no leite materno da própria mãe.

O cabo, que estava a postos na unidade no núcleo Cidade Nova, foi surpreendido com a chegada de um casal em um carro. O avô da criança saiu de dentro do veículo, desesperado, carregando no colo a pequena de três dias.

De acordo com o avô, Ana Júlia estava sem respirar há um tempo. Imediatamente, foi iniciada uma massagem para reanimá-la. “Eu nem pensei e comecei a fazer a ‘manobra’, que nesses casos de criança precisa ser feita com todo o cuidado”, disse o cabo Marinho.

Após algumas tentativas e quase desistindo da massagem, a criança começa a dar sinais de vida. “Ela deu um suspiro, começou a chorar e eu soprei as narinas dela para sair o que ainda estivesse por lá. Foi emocionante, até para mim que já tenho 15 anos de experiência. Nunca tinha passado por essa situação”, descreveu.

Cabo Marinho ressalta também o papel importantíssimo do avô da bebê, que foi rápido e essencial para o salvamento. Ele disse que, no momento em que percebeu que sua neta se afogava, saiu na rua e recebeu uma carona até o hospital de uma senhora que passava no momento. “No entanto, ele teve a ideia de trazer logo aqui no Grupamento, que é bem mais perto do que o hospital”, enfatizou.

CONDECORADO – O bombeiro já recebeu também a medalha “Antônio Lemos” por salvar duas mulheres que se afogavam no rio Tocantins, em 2014. “Infelizmente, não saiu uma promoção, mas me senti honrado e agora mais ainda por ter salvado essa criança”, disse.

(Com informações de Michel Garcia)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios