Casa abandonada é endereço de empresa que ganhou contrato de R$ 74 milhões do Governo do Pará

A empresa contratada pelo Governo do Pará como fornecedora de 535.700 cestas de alimentos para escolas da rede pública funcionam em uma casa abandonada em Ananindeua. A equipe de reportagem  esteve no local e constatou uma casa com paredes pichadas e muito mato ao redor, localizada em um terreno grande. Apesar da aparência de ser uma casa fechada e do capital social de apenas R$ 79 mil, a empresa é uma espécie de “faz tudo”, segundo a descrição de suas atividades, e foi contemplada com um contrato de R$ 74 milhões do governo estadual.

A empresa Kaizem Comércio e Distribuição de Produtos Alimentícios pertence a Edson Araújo Rodrigues, único sócio, e portanto  é uma EIRELI – EIRELI – Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, que segundo um contador ouvido pelo Portal Roma News só poderia ter um faturamento anual estipulado em até R$ 4,8 milhões, mas o contrato ganho do Governo do Pará, de R$ 74 milhões, é 15 vezes maior ao próprio valor que a empresa poderia  faturar anualmente segundo a legislação do tipo de registro da empresa.

Nesta manhã do dia 31, a resposta do Governo do Pará à denúncia do Portal  Roma News foi o anúncio do cancelamento do contrato, informação dada de forma tímida na conta de Twitter da Secretaria de Etdado de Educação. Mas a ação anterior do governo foi rápida a distribuição das cestas básicas de alimentos para alunos da rede estadual de ensino já começou no último dia 27, segundo informações do próprio governo do estado, envolvendo uma grande operação logística para contemplar as 535.700 cestas.

O próprio governo informa que montou um centro de distribuição logística em Ananindeua, onde são montadas 10 mil cestas por dia, sendo que a entrega foi retomada na última segunda-feira, 30para 19 escolas vinculadas à 19ª Unidade Regional de Educação (URE), localizadas em Belém e também no município de Ananindeua, de Ensino Fundamental, Médio e Técnico, nos bairros do Jurunas, Terra Firme, Cabanagem, Pedreira e Icuí.

Com a situação de calamidade pública declarada, a rigidez na contratação de fornecedores é flexibilizada, permitindo que o Poder Público adquira bens e serviços com dispensa de licitação, ou seja, sem concorrência, o que ocorreu neste caso.

A equipe de jornalismo do Portal Roma News solicitou nota do Governo do Pará na noite de segunda-feira, 30, mas o pedido foi ignorado. Também solicitou nota sobre o tema na manhã desta seginda-feira, 30, ao Ministério Público do Estado do Pará, órgão fiscalizador a quem o governo do Pará chegou a informar sobre a dispensa de licitação para a compra das cestas básicas.

Fonte: Roma News

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios