Concurso de Ipixuna é suspenso pela Justiça

A Justiça de Ipixuna do Pará determinou a imediata suspensão do Concurso Público Edital n.001/2018, realizado em junho de 2018, no município do sudeste paraense.

A decisão foi tomada após ação judicial da Promotoria de Justiça local, devido a indícios de fraudes no concurso. O certame visava o provimento de 210 cargos de nível fundamental, médio e superior, em diversas áreas.

Após relatos de irregularidades terem chegado ao Ministério Público do Estado, foi instaurado Inquérito Civil para a investigação das acusações.

Após a coleta de depoimentos e outros indícios de fraude, a promotora de Justiça de Ipixuna do Pará, Monique Nathyane Coelho Queiroz, ajuizou Ação Cautelar para suspensão do concurso em desfavor do município de Ipixuna do Pará, representada pela prefeita do município Katiane Feitosa da Cunha, e do Instituto Vicente Nelson Ivin.

Os indícios de fraudes foram detectados por meio de dois esquemas: um de oferta e aquisição de pontos eletrônicos para receber o gabarito das provas e outro de vazamento de questões no dia anterior da aplicação. Há suspeitas que no mínimo oito candidatos foram beneficiados com o esquema, mas esse número pode ser maior.

“Ocorreram possíveis fraudes no procedimento do certame, consistente na utilização de equipamento eletrônico para indicar as respostas corretas da prova. Além da fundada suspeita de um esquema dentro da prefeitura, envolvendo servidores e funcionários do Instituto Vicente Nelson Ivin, com o repasse de vinte questões da parte de conhecimentos específicos”, relatou a promotora Monique Queiroz.

Diante do apresentado pelo Ministério Público na ação cautelar, o juiz Sávio José de Amorim Santos, decidiu, liminarmente, pela suspensão do Concurso Público. Além disso, o juiz deferiu também que, no prazo de 24 horas, ocorra a divulgação pela prefeitura e instituto a todos os inscritos da suspensão imposta. “Em caso de descumprimento, fixo a multa diária e solidária no valor de vinte mil reais”, finalizou o juiz.

(Com informações do MP)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios