Estoque global de petróleo é suficiente para suprir perda de produção saudita, diz Rússia

Ataque à infraestrutura de petróleo saudita interrompe a produção de cerca de 5% da oferta mundial

Há petróleo suficiente nos estoques mundiais para substituir os barris que a Arábia Saudita perdeu temporariamente devido a um ataque a instalações do país, disse o ministro da Energia da Rússia, Alexander Novak, um aliado dos sauditas em um pacto para conter a oferta, nesta segunda-feira (16).

Após o ataque à infraestrutura de petróleo da Arábia Saudita, que interrompeu a produção de cerca de 5% da oferta global, o petróleo Brent registrou seu maior ganho percentual intradia desde a Guerra do Golfo de 1991.

A produtora de petróleo Saudi Aramco disse que o ataque reduziu a produção em 5,7 milhões de barris por dia (bpd).

Perguntado se a Rússia estava pronta para aumentar a produção, Novak disse que a Arábia Saudita primeiro daria uma estimativa das consequências do ataque.

“Mas atualmente entendemos que o mundo tem estoques comerciais suficientes para cobrir a escassez… a médio prazo”, disse Novak, acrescentando que planeja ter um telefonema com o recém-nomeado homólogo saudita, o príncipe Abdulaziz bin Salman.

Novak disse que a Rússia está cumprindo seus compromissos sob o acordo global de produção de petróleo, e que é prematuro falar sobre possíveis mudanças nos níveis de produção.

Arábia Saudita, Estados Unidos e China possuem centenas de milhões de barris de petróleo em armazenamento estratégico. O presidente dos EUA, Donald Trump, disse no domingo que autorizou a liberação da reserva estratégica de petróleo dos EUA.

A Agência Internacional de Energia (AIE), que coordena as políticas de energia dos países industrializados, aconselha todos os seus membros a manter o equivalente a 90 dias de importações líquidas de petróleo em estoque.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios