Força-tarefa define estratégias de ação em casas penais após massacre de Altamira

Agentes penitenciários paraenses terão contato com rotinas-padrão de presídios federais

As cadeias paraenses poderão ter rotinas similares às de prisões federais. Esse é o resultado de reunião feita esta quinta-feira (1º), em Belém, entre gestores da área de Segurança Pública com os quatro coordenadores da Força-Tarefa de Investigação Penitenciária (FTIP). A reunião serviu para alinhar ações a serem realizadas de forma integrada nas casas penais em todo o Pará. O governo diz que a vinda dos agentes federais ao Pará já estava prevista, para contribuir com o treinamento e formação de 485 novos agentes penitenciários que serão empossados no próximo sábado (3), mas a pauta central é o massacre que vitimou 58 presos no presídio de Altamira na última segunda-feira (29).

“Nesse primeiro momento, os agentes da Força-Tarefa estão dialogando com gestores da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), dos comandos de policiamento penitenciário e diretores de casas penais, e conhecendo o funcionamento, a estrutura e o quadro funcional das unidades penitenciárias do Estado. Em seguida, farão um diagnóstico para traçar o plano de implementação do modelo federal no Pará”, diz o governo dop Estado.

Rotinas de presídios federais

Nos 30 dias de atuação, a meta da FTIP é implementar e estabelecer procedimentos-padrão junto ao efetivo da Susipe, para que os agentes do Estado comecem a atuar com base nas novas diretrizes. Os agentes que passam a compor o quadro já serão treinados para entender a rotina de um presídio federal e, assim, trabalhar de forma diferenciada.

As cadeias paraenses poderão ter rotinas similares às de prisões federais. Esse é o resultado de reunião feita esta quinta-feira (1º), em Belém, entre gestores da área de Segurança Pública com os quatro coordenadores da Força-Tarefa de Investigação Penitenciária (FTIP). A reunião serviu para alinhar ações a serem realizadas de forma integrada nas casas penais em todo o Pará. O governo diz que a vinda dos agentes federais ao Pará já estava prevista, para contribuir com o treinamento e formação de 485 novos agentes penitenciários que serão empossados no próximo sábado (3), mas a pauta central é o massacre que vitimou 58 presos no presídio de Altamira na última segunda-feira (29).

“Nesse primeiro momento, os agentes da Força-Tarefa estão dialogando com gestores da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), dos comandos de policiamento penitenciário e diretores de casas penais, e conhecendo o funcionamento, a estrutura e o quadro funcional das unidades penitenciárias do Estado. Em seguida, farão um diagnóstico para traçar o plano de implementação do modelo federal no Pará”, diz o governo dop Estado.

Rotinas de presídios federais

Nos 30 dias de atuação, a meta da FTIP é implementar e estabelecer procedimentos-padrão junto ao efetivo da Susipe, para que os agentes do Estado comecem a atuar com base nas novas diretrizes. Os agentes que passam a compor o quadro já serão treinados para entender a rotina de um presídio federal e, assim, trabalhar de forma diferenciada.

Os coordenadores da força-tarefa também se encontraram, ao fim da tarde, com o governador Helder Barbalho, no Palácio do Governo. O governador comentou a necessidade de melhoria do quadro funcional e da estrutura física das penitenciárias paraenses, para além da posse dos novos agentes e a convocação dos 642 candidatos excedentes classificados em concurso público, já anunciada. “É importante a união de forças federais e do Estado para o cumprimento da devida execução penal. Queremos que o processo de integração seja natural e eficiente, para que possamos aprimorar a gestão penitenciária no Estado”, destacou Helder.

“As penitenciárias federais, além de terem uma estrutura de qualidade, também possuem um efetivo muito bom. Os índices de rebeliões e fugas são muito baixos devido ao forte controle. Por isso, com a melhoria nos instrumentos de trabalho dos novos agentes penitenciários do Pará e o treinamento proporcionado por essa integração de forças, poderemos estabelecer procedimentos mais rigorosos, que resultem no aprimoramento das condições carcerárias”, afirmou Ualame Machado, secretário de Segurança Pública e Defesa Social.

(com informações da Agência Pará).

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios