Ginecologista que atende em Parauapebas, Tucuruí e Breu Branco é acusado de abuso sexual

A assessoria de comunicação da Polícia Civil do Estado do Pará divulgou na manhã desta segunda-feira (13) a prisão do médico ginecologista Orlando Veiga Filho, denunciado por uma paciente de Breu Branco por abuso sexual.

Conforme divulgado na Agência Pará, a prisão foi realizada pela equipe de Tucuruí após a vítima ter procurado a Delegacia de Breu Branco no último dia 2. O médico está sendo investigado por Violência Sexual Mediante Fraude.

A mulher de 29 anos relatou ter sofrido a violência durante o retorno da consulta ginecológica. Ainda segundo a publicação, ela foi submetida a um exame pericial-sexológico que atestou conjunção carnal recente. A vítima também teve acompanhamento assistencial-psicológico que constatou abalo emocional.

A Polícia Civil afirma que durante a investigação recebeu denúncia anônima apontando que o médico teria abusado de outras pacientes.

A delegada Luiza Moema, titular da delegacia de Breu Branco, declarou via assessoria de comunicação que o médico já exerceu atividade em diversos estados, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Roraima e São Paulo, mas não há registro da especialidade como ginecologista nos Conselhos Regionais de Medicina. “A investigação também apurou que, em 2011, no município de Itupiranga, ele havia abusado sexualmente de outra mulher, com o mesmo ‘modus operandi’”, afirmou a autoridade.

Orlando Veiga Filho foi preso por mandado judicial de prisão preventiva, expedido na Comarca de Breu Branco. O Correio de Carajás não conseguiu, até o momento, localizar o responsável pela defesa do médico.

Fonte: Correio de Carajás (Da Redação)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios