Homem que atropelou e matou Menina de 3 anos em Parauapebas comparece na Delegacia

O motorista Saulo Farias da Rocha, de 39 anos, compareceu espontaneamente à sede da 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Parauapebas, acompanhado de seu advogado, na tarde da última sexta-feira (19), para falar sobre a morte da menina Evellyn Vitória Pereira Figueiredo, de 3 anos. Ela morreu atropelada por ele, que dirigia uma caminhonete, por volta de 19 horas da última quarta-feira, 17, no bairro Beira Rio, em Parauapebas.

As primeiras informações eram de que Saulo Farias, pressionado por populares, que impediram sua fuga, ainda prestou socorro à criança, mas fugiu logo após deixar ela e a mãe no Hospital Municipal. O acidente aconteceu às proximidades do condomínio residencial onde a menina morava com a mãe. De acordo com o avô materno, Alan Acácio Figueiredo, a menina seguia pela rua com a mãe e a avó dela.

O motorista, segundo registrado nas imagens de câmeras de segurança, fez uma manobra e não observou a criança, que foi colhida próxima à calçada, sendo atingida pelo para-choque dianteiro do lado direito do veículo, com o qual foi arrastada por cerca de seis e sete metros. Populares que viram a cena correram e cercaram o carro, impedindo que o motorista fugisse.

Sem saída, ele levou a menina e a mãe dela para o hospital, mas tão logo as deixou lá, fugiu. Segundo Alan, ele levou o celular da mãe da criança que, no desespero, desceu da caminhonete sem pegar o aparelho.

A família já registrou ocorrência e a polícia vai verificar as imagens das câmeras de segurança, para identificar o carro e o motorista. A menina, que estudava em uma creche, teve traumatismo craniano, segundo apontou o laudo da necropsia feita no Instituto Médico Legal (IML) de Marabá.

Mas, para a polícia, o motorista acusado informou que prestou socorro à vítima imediatamente, levando-a, juntamente com a mãe, ao Hospital Municipal de Parauapebas. Informou ainda que aguardou a vítima ser atendida, mas não esperou por muito tempo no hospital por receio de retaliações de familiares dela.

Alegou que a motivação do atropelamento foi devido a criança ter se soltado da mão da mãe e atravessado a rua, em local onde não havia faixa de pedestres, segundo informou o delegado Felipe Oliveira, que colheu o depoimento do acusado.

Fonte: Correio de Carajás Tina Santos com informações de Ronaldo Modesto e Chagas Filho

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios