Hydro Alunorte agiu contra a segurança do processo produtivo durante o despejo de rejeitos, dizem MPs

Posicionamento dos órgãos foi divulgado dois dias após refinaria anunciar a paralisação das atividades em Barcarena e Paragominas.

Os Ministérios Públicos Federal e Estadual (MPF e MPPA) informaram que a mineradora norueguesa Norsk Hydro agiu contra a segurança do processo produtivo quando decidiu despejar efluentes de minérios não tratados no leito do rio Pará. O posicionamento dos MPs foi divulgado dois dias após refinaria suspender as atividades nos municípios de Barcarena e Paragominas, no Pará. A Hydro Alunorte ainda não se manifestou sobre o posicionamento dos MPs.

Hydro Alunorte em Barcarena Pará — Foto: Tarso Sarraf / O Liberal

Os incidentes ocorreram nas dependências da Hydro Alunorte nos dias 16 e 17 de fevereiro. De acordo com a empresa, a única bacia de depósito de rejeitos em funcionamento teria atingido a capacidade máxima. Chovia bastante na época e a empresa decidiu despejar efluentes não tratados no leito do rio Pará para diminuir a pressão e o volume de água de chuva sobre o Bacia de Rejeitos (DRS 1).

De acordo com os Ministérios Públicos, a Hydro sabia que a vida útil do primeiro depósito de rejeitos, o DRS1, estava chegando ao fim. A nota diz que a empresa deveria ter se programado para licenciar completamente o segundo depósito.

O MPPA fez vistoria nas áreas operacionais da Hydro Alunorte e entorno da empresa, em Barcarena (PA). — Foto: Divulgação / MPPA

 

O MPPA fez vistoria nas áreas operacionais da Hydro Alunorte e entorno da empresa, em Barcarena (PA). — Foto: Divulgação / MPPA

Os MPs também demonstraram conformidade ao embargo imposto pela justiça à empresa. Desde março, a empresa está atuando apenas com 50% da capacidade. O Ministério Público informou que o embargo foi necessário por conta dos danos ambientais provocados pelo despejo irregular de efluentes. Os despejos contaminaram a região.

Entenda o caso

Nos dias 16 e 17 de fevereiro deste ano, resíduos de bauxita contaminada vazaram da Hydro Alunorte para o meio ambiente após fortes chuvas em Barcarena. Após uma vistoria com a presença da procuradoria do Ministério Público, foi identificado uma tubulação clandestina que saída da refinaria e despejava rejeitos que contaminaram o solo da floresta e rios das localidades próximas. Ainda foram encontradas outras duas tubulações ilegais que tinham a mesma finalidade.

Semas descobre novo ponto de despejo irregular na refinaria da Hydro em Barcarena. — Foto: Reprodução / Semas

O Instituto Evandro Chagas realizou coletas de solo e água nas comunidades que ficam ao redor da Hydro e após análise em laboratório foi constatado alteração nos elementos químicos presentes no solo, além da presença de metais pesados e cancerígenos como chumbo. A Hydro encomendou um estudo que refutou as análises do IEC e negou que houve contaminação.

infográfico, hydro, barcarena — Foto: Infográfico: Alexandre Mauro e Igos Estrella / G1infográfico, hydro, barcarena — Foto: Infográfico: Alexandre Mauro e Igos Estrella / G1

Fonte: G1 Pará

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios