Justiça Federal revoga decisão e mantém PF investigando compra de respiradores da China no Pará

Ação do governo estadual pedia que Polícia Civil assumisse o caso. Governador anuncia acordo com empresa.

A Justiça Federal revogou, na última terça (12), uma liminar, expedida pelo juiz federal Rubens Rollo D’Oliveira na segunda (11), que suspendia as investigações da Polícia Federal sobre a compra de 400 respiradores da China para tratar pacientes com Covid-19 no Pará.

A primeira leva de 152 equipamentos apresentaram problemas e não pôde ser usada nos pacientes, segundo o governo. Com a nova decisão, as investigações continuam em âmbito federal, até então.

De acordo com a 3ª Vara Federal Criminal, em Belém, o mandado de segurança para barrar as investigações foi impetrado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Acordo

Em vídeo, o governador Helder Barbalho (MDB) anunciou um acordo com a empresa que comercializou os respiradores, que custaram R$126 mil cada unidade. Segundo Barbalho, o quantia de R$25,2 milhões será devolvida, em até 7 dias.

Ainda de acordo com o governo, o valor a ser devolvido corresponde a 50% do investido nos respiradores e havia sido pago pelo governo – quantia já foi bloqueada da empresa e seus sócios por decisão judicial.

Decisão

A Justiça Federal cita que a alegação do governo era de que o inquérito comandado seria “ilegal”, pois os recursos usados na compra não são federais e afirmou que a investigação não caberia à Polícia Federal.

Ainda segundo a decisão, a liminar revogada afirmava que a “concessão, obstando a continuidade do inquérito policial, pode ter se mostrado excessiva”.

Em nota, a PGE disse que acionou a Justiça, afirmando que a “intrusão da Polícia Federal é ilegal, já que os recursos são estaduais, e poderia jogar por terra a punição de responsáveis”.

Ainda segundo a PGE, as investigações abririam “possibilidade de réus arguirem na Justiça o vício de origem da investigação” e “atrapalharia a investigação aberta pela Polícia Civil do Estado”, iniciada na última segunda.

“Em nome do respeito ao princípio federativo e do zelo pelo erário público, a PGE reafirma seu compromisso de sempre apoiar a Polícia Federal no cumprimento de seu papel em sua esfera de ação”, a PGE afirmou na nota.

A PF informou que não comenta a investigação, mas afirmou que ela continua. O Ministério Público do Pará (MPPA) e o Ministério Público Federal (MPF) disseram que não vão se manifestar sobre o assunto. O caso ocorre em sigilo.

Entenda o caso

MPE investiga a compra de respiradores da China que não funcionam
MPE investiga a compra de respiradores da China que não funcionam

Os 152 respiradores comprados da China pelo governo do Pará para tratamento de pacientes com Covid-19 apresentaram falhas durante processo de instalação e ainda não puderam ser usados, afirmou o próprio governo estadual. Sobre o custo de cada respirador, R$ 126 mil, o Estado afirmou que os recursos não serão perdidos.

Os equipamentos chegaram na segunda-feira (4), junto com 1.580 bombas de infusão, que permitiriam a instalação de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para Covid-19.

A nota do governo disse que as dificuldades também ocorreram por outros compradores e que o governo está “em contato direto com os fabricantes, que prometem saná-los em caráter de urgência”. Ainda segundo o documento oficial, os fabricantes assumiram que vão resolver os problemas e adequar os equipamentos aos parâmetros nacionais.

No total, o governo do Pará adquiriu 400 kits de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), contendo 400 respiradores, 400 monitores multiparamétricos, 400 oxímetros de pulso e 1.600 bombas de infusão. O total de investimentos foi de R$100 milhões, segundo o governo, sendo que R$50,4 milhões foram gastos somente com os respiradores.

Os kits são para atender pacientes em tratamento com a Covid-19, sendo que 80 foram destinados para o Hospital de Campanha de Belém e 30 para o Hospital Galileu, todos em Belém.

Os equipamentos respiradores também já haviam começado a ser distribuídos para municípios do interior do estado, como Tucuruí, Abaetetuba, Parauapebas, Redenção e Altamira.

Evolução da Covid-19 no PA
G1 – Pará
1111222244555599131318182626414175751021021541541691692372373103104874876276276856851.1951.1951.7451.7452.3192.3192.9992.9993.7273.7274.7564.7565.2955.2955.9355.9356.5196.5197.3487.3488.0698.0699.0599.059113232343438385353959512212215615626326332032037537548848861061081281200000000007367361.1241.1241.5921.5922.2422.2422.9812.9813.5253.5254.0914.0915.1435.143Casos confirmadosMortesPacientes recuperados18/0324/0330/0305/0411/0417/0423/0429/0405/0511/0521/0327/0302/0408/0414/0420/0426/0402/0508/05010k2,5k5k7,5k

27/04
● Mortes: 122
Fonte: Secretaria de Saúde do Pará – Sespa

CORONAVÍRUS

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios