DestaqueNotícias

Lei estadual reduz quantidade de documentos solicitados à cidadãos

Sancionada no último dia 8 de outubro, a Lei 13.726/2018 tem o objetivo de diminuir a burocracia na administração pública, retirando a obrigatoriedade de inúmeros documentos, a exemplo da cópia autenticada e reconhecimento de firma. A legislação também dispensa a exigência de juntada de documento pessoal do usuário; apresentação de certidão de nascimento, que poderá ser substituída por documento de identidade; título de eleitor, carteira de trabalho e passaporte; apresentação de título de eleitor, exceto para votar ou para registrar candidatura; entre outras disposições.

A finalidade da lei é a simplificação de formalidades ou exigências desnecessárias, que têm alto custo econômico para o Estado e cidadão. Conforme explicou o presidente do Conselho de Jovens Empresários (CJE) da Associação Comercial do Pará (ACP), Leonardo Daher, uma das maiores vantagens da legislação é a diminuição de custos com cópias de documentos para operar junto ao poder público. Para ele, essa medida estimula o empreendedor a gerar emprego, investir cada vez mais e simplificar processos.

Para o empresário e contador Romerson Aquila, a regra é descomplicar a vida de pessoas físicas e jurídicas junto aos órgãos competentes. Ele destacou que o processo digital diminui a possibilidade de fraude, simplifica e desburocratiza a prestação de registro do trabalho governamental. “A mudança do trâmite não oferece risco à segurança e não causará efeitos negativos”, explicou o contador, que acha que a legislação vai facilitar as necessidades de tempo e custos, considerando a informatização.

A diretora de registro da Junta Comercial do Estado do Pará (Jucepa), Ieda Carvalho, garantiu que o poder público estadual já está preparado para colocar a legislação em vigor. Na opinião da diretora, a maior importância de diminuir a burocracia na administração pública é transmitir confiança nos serviços prestados à sociedade.

Fonte: ORM

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios