DestaqueRegional

Mãe é presa acusada de torturar a própria filha no interior do Pará

Uma mulher identificada como Mariana Coelho Medrado Ribeiro, de 20 anos, foi presa em cumprimento de mandado de prisão preventiva, nesta sexta-feira (15), acusada de torturar a própria filha. O caso aconteceu no município de Xinguara, no sudeste paraense.

De acordo com informações da Polícia Civil, ela foi flagrada por vizinhos que filmaram por mais de uma vez os maus tratos cometidos por ela contra a própria filha, uma criança de seis anos. A última agressão foi registrada, no último dia 9, o que ensejou a condução da acusada para a Seccional de Polícia Civil em Xinguara e o indiciamento dela por crime de tortura. A criança está sob os cuidados do Conselho Tutelar.

Na época, as imagens foram divulgadas nas redes sociais e geraram repercussão nacional, por meio da divulgação em veículos de comunicação. Ela foi presa por policiais civis da Seccional de Xinguara em sua casa, na Rua Marechal Cordeiro de Farias, Centro do município. Com base nos vídeos e nas provas coletadas pela equipe policial, Mariana Medrado teve o mandado de prisão expedido pela Comarca de Xinguara.

“Mariana agrediu a filha em diversas ocasiões. Ele foi flagrada por vizinhos que registraram as agressões em vídeo. Este fato chegou ao conhecimento da autoridade policial por meio das redes sociais e causou grande repercussão e clamor social”, ressalta o delegado Max Muller, responsável pelo inquérito policia do caso. A prisão foi cumprida pela equipe formada pelos policiais civis – investigadores Dênis Lisboa, Roger Lehmkuhl, Alan Amorin e Amilcar Viana, e escrivães Paulo Cardoso e Hugo Deleon.

(DOL)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios