DestaquePolítica

Maia desarticula Bolsonaro na Câmara, Fausto Pinato defende decreto e fortalece presidente

O presidente da Câmara Federal deputado Rodrigo Maia  (DEM-RJ),  está tentando desarticular deputados para não aprovar decreto de armar brasileiros. Promessa de campanha do presidente eleito Jair Bolsonaro, em contra partida,  o deputado presidente da comissão ruralista Fausto Pinato (PP-SP), defende decreto a favor do presidente, a qual vem sendo linchado pela rede social de Maia. O deputado Rodrigo Maia já está mostrando posicionamentos a desfavor da reeleição do presidente, e já demonstra e sinaliza que quer ser vice de João Doria em 2022.

Indignado com a derrubada do decreto de armas ocorrido no Senado, o deputado federal Fausto Pinato (PP-SP), disse a imprensa que é fácil votar contra o texto quem tem direito a segurança armada.

“É muito fácil andar com carro blindado e pagar segurança armada, morar em condomínio fechado e discursar contra o decreto presidencial. Isso é demagogia barata.” Relatou o deputado Fausto Pinato.

Ele defendeu ainda que um trabalhador que mora no sítio ou fazenda tenha em mãos meios para se defender de bandidos no meio da noite e que uma arma seria a forma da defesa familiar.

Pinato não concorda com as declarações do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, que os deputados devem seguir a votação do Senado Federal e derrubar de vez o decreto do presidente da República Jair Bolsonaro que flexibiliza o porte de armas.

Nos últimos dias, bandidos armados publicaram em redes sociais agradecimentos ao Senado pela derrubada do decreto de armas. Os vídeos circularam todas as redes sociais, deixando a população de bem estarrecidas com a decisão da maioria dos senadores.

Da redação do Portal do Carajás

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios