Marabá: Ex-policial militar que estava foragido volta para a prisão

O documento foi devidamente consultada no sistema e verificou-se que não tinha validade, pois Antônio foi expulso da corporação após cometer um homicídio no município de Novo Repartimento

Antônio Fábio da Silva Cunha foi preso na tarde do último sábado (28) em uma lanchonete que fica em um posto de combustíveis, no km 6, em Marabá. De acordo com o Boletim de Ocorrência, por volta das 17 horas, uma Guarnição da Polícia Militar parou no posto porque Antônio, que estava no local, apresentava atitudes suspeitas.

Ao perceber a aproximação dos policiais o suspeito fugiu e, após serem realizadas buscas, foi encontrado dentro do banheiro da lanchonete que fica próxima ao posto de combustíveis. Ainda conforme o relato registrado na ocorrência, Antônio apresentou à guarnição uma carteira de identificação da PM.

O documento foi devidamente consultada no sistema e verificou-se que não tinha validade, pois Antônio foi expulso da corporação após cometer um homicídio no município de Novo Repartimento. Ele estava foragido do Centro de Recuperação Especial Coronel Anastácio das Neves (CRECAN) desde 4 de maio de 2018.

Ele apresentou documento sem validade

Após efetuar a prisão de Antônio, a guarnição da PM o levou para a 21ª Seccional de Polícia Civil, em Marabá, para a realização dos procedimentos cabíveis.

Acusação

Segundo o Boletim de Ocorrência registrado no momento da prisão de Antônio Fábio da Silva Cunha, havia um mandado de prisão preventiva contra ele expedido pela Vara Única de Novo Repartimento.

O ex-policial militar é acusado de ter matado uma mulher de prenome Gabriela no dia 24 de dezembro de 2017. O motivo do crime teria sido um desentendimento entre a vítima e outra mulher, Jaqueline da Silva Menezes, que, segundo as investigações da época, teria presenciado o crime. Ela foi presa em Uruará dia 9 de março de 2017. Já Antônio havia sido preso dois das antes, em 7 de março de 2017.

Fonte: Correio de Carajás (Fabiane Barbosa e Evangelista Rocha)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios