Morre criança venezuelana de quatro meses com sarampo no Pará

Hospital Barros Barreto confirmou a morte com sarampo neste sábado (25). Este foi o primeiro caso de morte de uma criança da etnia Warao com sarampo em 2018 no estado.

O Hospital Universitário João de Barros Barreto, da Universidade Federal do Pará (UFPA), em Belém, confirmou neste sábado (25) a morte de uma criança venezuelana da etnia indígena Warao de quatro meses com sarampo.

Segundo o hospital, a morte aconteceu às 7 horas. Além de sarampo, o bebê apresentava sintomas para o vírus H1N1. Este foi o primeiro caso de morte de uma criança da etnia Warao com sarampo em 2018 no estado.

Na madrugada da sexta-feira (24), um bebe venezuelano de cinco meses morreu no Pronto Socorro da 14 de Março, na capital. A suspeita era que a criança teria morrido de sarampo, mas a Secretaria Municipal de Saúde informou que após exames feitos pelo Laboratório Central (Lacen) na quarta-feira (22), o resultado de sorologia deu negativo para sarampo e pesquisa de vírus influenza A e B. Mesmo após o resultado, a criança continuou com piora clínica do quadro e morreu.

Fonte: G1 Pará

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios