MP entra com ação na Justiça para obrigar Prefeitura de Redenção a fechar serviços não essenciais

Medida seria uma forma de conter o avanço da Covid-19 no município. Cidade já acumula 888 casos e 10 mortes pela doença.

O Ministério Público do Pará (MPPA) solicitou à Justiça na última quarta-feira (24) que o município de Redenção, no sudeste do estado, seja obrigado a decretar o fechamento das atividades não essenciais na cidade. A medida seria uma forma de conter o avanço da Covid-19 no município. De acordo com a Prefeitura, a cidade já acumula 888 casos e 10 mortes pela doença.

Segundo o Ministério Público, a ação foi ajuizada após a Prefeitura de Redenção não aceitar a proposta de endurecimento das regras de isolamento, apresentada durante uma reunião com os prefeitos da região sudeste do Pará. Durante a reunião, ficou determinado também o fechamento de todas as praias e balneários da região durante o mês de julho.

Ainda de acordo com o MP, o endurecimento das medidas de isolamento em Redenção é necessário já que os sistema de saúde pública do município “se encontra à beira do colapso”. Segundo Leonardo Caldas, promotor da ação, o município não dispõe de leitos de UTI em sua rede pública.

A Prefeitura afirma que, de acordo com o plano de contingência elaborado pelo município, os casos graves de Covid-19, que não puderam ser atendidos pela sistema de saúde da cidade, serão transferidos para o Hospital Regional do Araguaia, que também fica em Redenção. No entanto, segundo informações da 12ª Regional de Saúde do Pará, a rede de atendimento aos municípios da região já está superlotada.

Redenção tem comércio aberto

Apesar do colapso no sistema de saúde anunciado pelo Ministério Público, a região do Araguaia, onde se encontra o município de Redenção, está enquadrada como risco médio de contaminação do novo coronavírus, de acordo com governo do Pará. No bandeiramento das regiões, que conta para o plano de retomada das atividades econômicas no estado, Redenção e os municípios próximos possuem bandeira laranja, o que permite a abertura do comércio de rua, shoppings centers e igrejas.

No entanto, o MP questiona a classificação dada pelo governo do Pará ao município de Redenção. O Ministério Público alega que um dos princípios que deveriam ser levados em consideração pelo Governo, que é a capacidade hospitalar da localidade, é deficitária na região.

Além disso, segundo o MP, Redenção vem enfrentando uma escalada vertiginosa no número de casos, o que demonstra um descontrole no contágio na região.

“Nesses termos, a realidade vivenciada no âmbito local não pode e nem deve aguardar a reclassificação de risco, pois ele já se apresenta atual e iminente, dadas as estatísticas já citadas, bem como da incapacidade de resposta plena pela rede hospitalar em quaisquer de suas esferas, o que agrava a situação local e justifica o pedido do Ministério Público’’, declara o promotor Leonardo Caldas.

Com informações G1 Pará

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios