Nova Cadeia Pública é inaugurada em Parauapebas

O novo presídio foi inaugurado na última terça-feira (19) com a presença do governador Helder Barbalho, acompanhado de outras autoridades, e possui 47 celas, sendo 37 com capacidade para 8 presos, cada, 8 celas solitárias e duas celas individuais, para pessoas deficientes. De acordo com o Secretário Extraordinário para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, os 103 internos atualmente abrigados no centro irão imediatamente para a nova unidade. Além disso, há outros 136 que vivem no complexo penitenciário de Marabá e também voltarão para casa.

O governador, Helder Barbalho, destacou ter assumido o estado com um sistema carcerário extremamente lotado, com 20 mil presos para 9 mil vagas, o que impedia que o Estado pudesse cumprir com a estratégia penitenciária e fragiliza a própria condição do apenado.

“Estaremos encerrando 2019 com incremento de 1200 vagas, o que representa 23% de incremento das vagas disponíveis, o que assegura melhor estruturação e permite que novos procedimentos e protocolos possam acontecer de tal sorte que o estado efetivamente tome conta do sistema carcerário, não permitindo que essas unidades penais possam estar dialogando com o mundo externo do crime e, inclusive, com estratégias de potencialização da criminalidade das ruas”, diz.

A gestão carcerária compõe a estratégia de integração que envolve também a Polícia Militar e a Polícia Civil, afirma. “O intuito único é diminuir a violência e os resultados apontam redução de mais de 30% do número de homicídios do estado em 2019, em comparação a 2018”, observa. O governador garante que ainda neste ano irá entregar unidades prisionais em Redenção e Tucuruí e no primeiro semestre de 2020 casas penais de Marabá.

Fonte: Correio de Carajás

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios