Novo Progresso: Operação flagra diversos crimes ao meio ambiente

No sudoeste do Pará, uma área totalizando aproximadamente 3 mil hectares foi interditada pelos fiscais em ação que faz parte da Operação Amazônia Viva

No município de Novo Progresso, na região sudoeste do Pará, a Força Estadual de Combate ao Desmatamento no Estado do Pará localizou e destruiu três acampamentos utilizados para dar suporte à exploração de minérios. Seis pessoas foram conduzidas à Delegacia local e maquinários foram apreendidos.

A operação é realizada nos municípios de Uruará, Medicilândia, Brasil Novo, Placas, Itaituba, Trairão, Novo Progresso, Altamira (no distrito de Castelo dos Sonhos) e São Félix do Xingu. Na região de Novo Progresso, uma área totalizando aproximadamente 3 mil hectares foi interditada pelos fiscais em ação que faz parte da Operação Amazônia Viva, deflagrada neste mês para combater crimes ambientais no interior do Estado.

O coordenador da Secretaria de Meio Ambiente (Semas), Everton Dias, explicou que a ação abrange 10 municípios da região Sudoeste. “Estamos nos dez municípios que mais desmataram desde o ano passado, onde apresentam níveis de desmatamentos muito alto. E a nossa missão é combater esses crimes”.

Na operação de quinta-feira, 25, os fiscais chegaram a uma área garimpeira localizada em Novo Progresso. No local havia funcionários trabalhando na exploração ilegal de minérios. E foram apreendidas máquinas pesadas, maquinários de pequeno porte e armas de fogo. E três pessoas foram presas por posse ilegal de arma e três pessoas que se dizem proprietários das áreas também foram presos.

O Delegado Fernando Marcolino (Deca/Dema) explicou que na operação “fizemos questão de identificar os proprietários dos garimpos. Eles vão responder pelos crimes cometidos contra o meio ambiente”. A coordenação da operação não divulgou balanço da operação desta semana. (Antonio Barroso/freelancer)

SAIBA MAIS

A operação é coordenada Semas com a participação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Defesa Civil, Centro de Perícias Científicas “Renato Chaves” e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio).

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios