DestaquePará

PMs são presos em quartel de Castanhal suspeitos de integrar grupos criminosos

Uma nova fase da operação Anonymous, realizada pelo Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), foi deflagrada, na manhã desta terça-feira (16), e efetuou buscas e apreensões no 5º Batalhão da Polícia Militar de Castanhal, Região Metropolitana de Belém. A investigação é sobre o envolvimento de PMs com grupos criminosos que atuam na região metropolitana.

A operação foi solicitada pela 1ª Promotoria de Justiça do Tribunal do Júri de Ananindeua, representada pela promotora de Justiça Lizete de Lima Nascimento, e autorizada pelo juiz Cristiano Magalhães Gomes.

Segundo informações da Polícia Civil do Pará, quatro policiais militares tiveram mandados de prisão cumpridos pelas autoridades policiais. Ao todo, 10 pessoas – sendo  sete PMs e 3 pessoas não policiais – são apontadas nas investigações por participação em um assassinato ocorrido em 19 de fevereiro deste ano, em Ananindeua, quando foi morto Walberson Nunes Dantas, de apelido “Tio Flora”.

Um dos fundamentos para a operação de hoje é que o mandante do assassinato de “Tio Flora”, em declarações à Polícia, disse que em suas folgas “labora de forma extraordinária” para o Comandante do 5º BPM, tendo sido inclusive encontrados em sua residência armas e coletes balísticos pertencentes ao 5º BPM, os quais estariam em nome do Comandante.

Os quatro policiais militares já estão recolhidos no Centro de Recuperação Coronel Anastácio das Neves, do complexo penitenciário de Santa Izabel do Pará, à disposição da Justiça.

Primeira fase da operação

A operação Anonymous foi às ruas, da capital e região metropolitana, pela primeira vez, no dia 18 de março deste ano, por volta de 5h30 da manhã, para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão domiciliar.

Ao todo, na ocasião, nove policiais militares da ativa foram presos por mandados de prisão e uma pessoa não policial foi presa em flagrante. A Operação Anonymous foi deflagrada pelo Sistema de Segurança Pública e Defesa Social do Pará (Sieds), com a participação de mais de 200 policiais civis e militares e mais de 50 viaturas. Além dos mandados de prisão, foram cumpridos 19 mandados de busca e apreensão.

Um grupo paramilitar de milicianos foi retirado das ruas, acusados de homicídio e associação criminosa.

As informações são do Ministério Público do Estado do Pará e da Polícia Civil do Pará.

(DOL)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios