Polícia investiga assassinato do ex-candidato a vereador Francisco da GAMP, executado a tiros em Parauapebas

A polícia do município de Parauapebas ainda não tem pistas do paradeiro dos assassinos de Francisco da Silva, de 38 anos de idade, presidente do Grupo de Apoio a Moradia de Parauapebas (GAMP), executado com três tiros em frente a sede da entidade. Francisco do Gampp como era conhecido, era filiado ao PP e no último domingo concorreu a uma cadeira de vereador pelo Partido Progressista (PP), o mesmo  recebeu 471 votos, não foi eleito e ficou na suplência.

O mesmo foi executado com três tiros, dois no peito e um no braço.

De acordo com informações repassadas para reportagem pelo 1° sargento PM Gilson, o crime aconteceu por volta das 09h00 desta sexta-feira 20, na área do pátio da associação. A vítima havia acabado de chegar no local quando teria chegado dois indivíduos que parando uma moto Honda Bros preta em uma certa distância desceram e se dirigiram até ao presidente da entidade e convidando para conversar caminharam até um galpão que fica na frente da sede do Gampp.

Ainda segundo informações, minutos depois outras pessoas que também estavam na associação teriam escutado quando Francisco havia dito ” É brincadeira”, em seguida ouviram os disparos. Após executarem a vítima os assassinos deixaram o local tomando rumo ignorado. Em seguida duas testemunhas oculares do crime procuraram a delegacia e comunicaram a fato a delegada Yanna Azevedo, que está a frente do departamento de homicídio (DHPP), que busca informações para elucidar mais esse crime de homicídio tendo como vítima mais um presidente de associação ligado a loteamento.

A polícia ficou de solicitar as câmeras de monitoramento do antigo pátio do DMTT, próximo ao local do crime para tentar identificar os criminosos.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios