DestaqueGeralRegional

Possível conflito entre integrantes do MST e escolta armada de fazenda no PA é impedido pela Polícia

Cerca de 120 pessoas tentaram ocupar a fazenda em Jacundá e resolveram abandonar acampamento, após negociações. Duas armas foram apreendidas.

Um possível conflito entre integrantes do Movimento Sem Terra e vigilantes de escolta armada, na fazenda Cajueiro, a 120 km do centro urbano de Jacundá, sudeste do estado, foi intermediado pela Delegacia de Conflitos Agrários (Deca), segundo informações divulgadas na noite da última quinta-feira (31) pela Polícia Civil.

Cerca de 120 pessoas, entre elas homens armados, estariam na fazenda a fim de iniciar uma ocupação. Segundo a Polícia, a ocupação da fazenda foi impedida e duas armas de fogo foram apreendidas.

Armas de fogo foram encontradas em caminhões, durante ação da Polícia. — Foto: Reprodução / Polícia Civil

Armas de fogo foram encontradas em caminhões, durante ação da Polícia. — Foto: Reprodução / Polícia Civil

Os policiais foram deslocados de Marabá até a região após receberem informações da tentativa de ocupação. O delegado Waney Alexandre disse que os policiais perceberam a gravidade da situação, pois apenas uma porteira separava o movimento e a escolta armada. “Primeiro, conversamos rapidamente com os vigilantes da escolta, e logo após, tivemos uma conversa inicialmente tensa com os sem terra”, explicou.

Segundo o delegado, as armas apreendidas estavam escondidas em caminhões e, ao final das conversações, as pessoas resolveram retornar para as residências em Nova Ipixuna e Goianésia do Pará. O deslocamento do grupo foi escoltado pelas equipes da Deca para que fosse garantida a integridade de todos, disse o delegado Alexandre.

A Polícia Civil informou ainda que parte do movimento tinha a intenção de retornar ao acampamento Paloma, que fica a 30 km da fazenda, mas resolveram encerrar o acampamento que já existia há dez meses.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios