Prefeitura de Parauapebas em 2019 deve ter orçamento de R$ 1,243 bi

R$ 1,243 bilhão (um bilhão, duzentos e quarenta e três milhões de reais) é a receita total estimada para o orçamento de Parauapebas no próximo ano. É o que prevê o Projeto de Lei nº 50/2018, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre a Lei Orçamentária Anual (LOA) para 2019. A proposição foi entregue à Câmara Municipal de Parauapebas no dia 28 de setembro e lida na sessão ordinária de terça-feira, 2 de outubro.

A LOA estima as receitas da administração municipal de acordo com a previsão de arrecadação e determina as despesas que serão realizadas com a execução de projetos e as ações da administração municipal no próximo ano, em todas as pastas que possui.

Tramitação

Após a leitura na sessão, a proposição que dispõe sobre LOA será encaminhada à Procuradoria Geral Legislativa, para emissão de parecer prévio, no prazo de 10 dias úteis.

Em seguida, a matéria seguirá à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), que disporá do prazo máximo e improrrogável de 10 dias para emitir parecer, com análise do aspecto legal (constitucionalidade e legalidade) e formal do projeto.

Depois de emitido o parecer da CCJR, o projeto será enviado à Comissão de Finanças e Orçamento (CFO), responsável pelo recebimento de emendas dos parlamentares à LOA (prazo de 10 dias corridos), bem como pela elaboração do relatório das emendas e do relatório final da proposição (prazo de cinco dias úteis).

Aprovado o relatório final pela CFO, este se transformará em parecer final e será encaminhado juntamente com as emendas para apreciação em plenário, com discussão e votação únicas. Caso os vereadores aprovem o projeto, com ou sem emendas, o mesmo seguirá para sanção do prefeito.

Acesse

Para ter acesso ao Projeto de Lei nº 50/2018 completo, com detalhamento do orçamento por secretaria, coordenadorias e demais órgãos da administração municipal, bem como os anexos da proposição, basta clicar no link: https://goo.gl/uVqHwt .

Texto: Nayara Cristina / Revisão: Waldyr Silva / Ascomleg

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios