DestaquePará

Prefeituras do Pará já receberam quase R$ 1 bilhão em ICMS este ano; veja valores

Por causa da atividade mineral, Canaã dos Carajás abocanha fatia de imposto maior que o populoso Santarém. E, nos próximos anos, expectativa é de que Canaã suba ao topo.

Em três meses e meio, as 144 prefeituras juntas foram irrigadas por exatos R$ 889.708.205,70 decorrentes de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), em cotas-partes repassadas pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefa). As informações foram levantadas com exclusividade neste último  domingo (14) pelo Blog do Zé Dudu, que somou os repasses do imposto e a contribuição dos municípios para a formação do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb) a partir do ICMS.

O ICMS é tão importante e cobiçado por alguns prefeitos que desencadeou uma batalha judicial entre as duas mais ricas prefeituras paraenses, Belém e Parauapebas, ambas as quais se dizem prejudicadas, uma pela outra. A capital do estado acusa a capital do minério de morder mais do que o devido por causa de manobras na formação da base do imposto. Até a mineradora multinacional Vale é dedurada no meio da queda de braço como pivô de uma suposta injustiça fiscal de que Belém, em tese, é vítima. A contenda já foi reportada pelo Blog no início deste ano (veja aqui).

Nestes primeiros três meses e meio do ano, Belém continua líder em recebimento de ICMS, com quase R$ 136 milhões acumulados. Parauapebas vem logo atrás, com R$ 124,6 milhões, mais que o dobro da terceira colocada, a Prefeitura de Marabá, que recebeu R$ 55,9 milhões. Chama atenção o fato de Canaã dos Carajás ter recebido R$ 21,1 milhões, enquanto Santarém, com população oficial sete vezes e meia maior, recolheu apenas R$ 18,2 milhões. Além de receber menos que Belém, Parauapebas, Marabá e Canaã, Santarém também leva baile de Barcarena (R$ 36,3 milhões), Tucuruí (R$ 31,6 milhões), Ananindeua (R$ 26,8 milhões), Castanhal (R$ 21,4 milhões e Paragominas (R$ 20,5 milhões).

Beneficiado por projetos de mineração da Vale, Canaã dos Carajás deve assistir ao crescimento de seu ICMS nos próximos anos, já que, atualmente, é um dos quatro municípios que mais movimentam mercadorias e serviços, na esteira do projeto de extração de ferro S11D, na Serra Sul de Carajás. Esse imposto deve tornar-se a segunda principal fonte de receitas da prefeitura local, atrás apenas dos royalties de mineração, tal como ocorre hoje com Parauapebas.

Segundo a Sefa, o imposto incide sobre operações relativas à circulação de mercadorias, bem como sobre a prestação de serviços de transporte interestadual e intermunicipal e de comunicação. A Constituição Federal estabelece que 25% do produto da arrecadação do ICMS pertencem aos municípios.

Veja quanto cada município já recebeu de ICMS este ano!

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios