Preso em Xinguara assaltante de banco procurado em três estados

Já está à disposição Valdivino Pinheiro Júnior, acusado de pertencer a uma quadrilha especializada em assaltos a banco. Ele foi detido pela Polícia Militar na cidade de Xinguara, no sudeste do Pará.

O acusado é considerado de alta periculosidade pela polícia e era procurado pela Justiça dos estados do Pará, Tocantins e Mato Grosso. Valdivino Pinheiro foi preso após oficiais do Serviço de Inteligência do 17º Batalhão Carajás da Polícia Militar em Xinguara localizá-lo, durante dias de investigação.

Ele foi localizado no Bairro Itamaraty e preso por volta de 22 horas da última terça-feira, 11. Segundo a Polícia Militar, Valdivino estava foragido do Sistema Prisional de Palmas, capital do Tocantins.

Ele possui mandados de prisão nos estados do Pará, Tocantins e Mato Grosso por assaltos a banco na modalidade “Sapatinho”, que é quando os criminosos sequestram o gerente ou seus parentes para obriga-los a leva-los ao banco e abrir a agência e os cofres.

Valdivino é acusado de ter participado do assalto a agência do Sicredi, na cidade de Confresa, no Estado de Mato Grosso, no mês de novembro deste ano. Ele também é apontado como participante do roubo a agência da mesma instituição bancária na cidade de Tucumã, sudeste do Pará.

O roubo ocorreu em dezembro de 2018. O acusado ainda é apontado como participante do roubo de uma agencia bancaria na cidade de Araguatins, no estado do Tocantins. A operação que resultou na prisão de Valdivino teve à frente o comandante do 17º BPM, tenente coronel, Keythson Valente Gaia, contando com homens do Serviço de Inteligência da PM e da Rocam.

Fonte: Correio de Carajás (Tina Santos- com informações da Polícia Militar)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios