DestaqueGeralNotíciasPolícia

Preso suspeito de torturar e matar policial militar durante assalto em Ananindeua

Já está preso e indiciado pela Polícia Civil, Felipe Jean Correia da Silva, suspeito de matar durante assalto o policial militar José da Silva Frade, no mês de março deste ano, dentro de um ônibus em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém (RMB). A vítima foi arremessada do coletivo e os bandidos usaram um aparelho de choque.

PM é assassinado ao reagir a assalto dentro de ônibus em Ananindeua

Na ocasião, três homens entraram no ônibus e anunciaram o assalto. Além dos três havia mais um suspeito no apoio para dar fuga em um veículo roubado.

Ao ser reconhecido, militar teve o aparelho de choque confiscado pelos bandidos que o torturaram e o jogaram do coletivo (Foto: Arquivo Pessoal)

Detido para averiguação suspeito de torturar e matar policial em ônibus

Segundo a Polícia Civil, os quatro autores do crime foram identificados. Um deles, um adolescente, já foi apreendido. Outro acusado foi morto em troca de tiros com a PM e outros dois fugiram na ocasião.

Cobrador afirma que PM foi torturado com choques por assaltantes

De acordo com o delegado da Divisão de Homicídios, Guilherme Macedo, na ocasião do crime, três pessoas anunciaram o assalto dentro do ônibus. O policial militar foi reconhecido pelos criminosos e, após ser espancado e ser torturado com uma aparelho de choque, a vítima foi jogada de dentro do ônibus e acabou batendo a cabeça no chão, morrendo em decorrência de traumatismo craniano.

Com base nas investigações, o delegado representou pela prisão preventiva dos foragidos. Após decretadas as prisões pela Justiça, em 28 de agosto deste ano, a PM localizou e prendeu Felipe Jean Correia da Silva. O outro envolvido permanece foragido.

(DOL com informações da Polícia Civil)

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios