DestaquePolícia

PRF apreende mais de 90m³ de madeira ilegal em Dom Eliseu e Altamira

Três dias antes, a PRF foram mais 75,64m³ apreendidos em Altamira

No último final de semana, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu 90,27 metros cúbicos (m³) de madeira ilegal nos municípios de Dom Eliseu, nordeste do Pará, e Altamira, oeste paraense. Dias antes, na quarta-feira (3), no período de apenas duas horas, a PRF também apreendeu 75,64 (m³) de madeira ilegal em Altamira.

O primeiro flagrante ocorreu por volta das 16h, no último sábado (6), quando os policiais que fiscalizavam no km 25 da BR 222 e abordaram uma Mercedes Bens Axor, cor vermelha.

“Ao indagarmos o condutor sobre a proveniência da carga transportada, ele informou que a madeira era oriunda de uma fazenda do município de Dom Eliseu com destino à uma serraria no bairro Flor do Ipê, localizado na mesma cidade”, disse a PRF.

Assim, foi realizada a medição da carga, chegando-se ao volume de 25 m³ de madeira. Quando questionado sobre os documentos obrigatórios para transporte do produto, o caminhoneiro disse não possuir a guia florestal nem mesmo a nota fiscal. Dessa forma, a PRF configurou a ilegalidade do produto.

Já os dois últimos flagrantes ocorreram no domingo (7), no km 630 da BR 230, na cidade de Altamira. Por volta das 13h, a equipe da PRF abordou um caminhão que transportava carga de madeira serrada do município de Rurópolis, sudoeste paraense, para o município de Brasília (DF).
“Através da medição da carga, verificamos que a madeira existente no veículo era de 45,46 m³, divergindo do volume constante da nota fiscal, que era de 37,77 m³. Ao analisar os cortes da madeira serrada transportada, estes não condiziam com o que estava descrito nas notas fiscais, já que estavam sendo transportadas madeiras com cortes diferentes dos cortes declarados nos documentos. Ademais, foi constatado que a guia florestal apresentada pelo condutor não possuía Certificado de Regularidade no Cadastro Técnico Federal do Ibama”, afirmou a Polícia Rodoviária Federal.

A outra apreensão ocorreu por volta das 22h. Desta vez, a abordagem foi a um caminhão da Volkswagem 24.250 Cnc 6×2, cor vermelha, que trafegava do estado do Mato Grosso para o de Sergipe.

“Solicitamos os documentos pessoais do veículo e da carga. Foram apresentadas as notas fiscais que discriminavam total de 18m³ de madeira serrada do tipo maçaranduba nos cortes caibro e viga. Porém, ao realizar a medição técnica da carga, constatamos uma quantidade de 19,81m³ entre viga, caibro, vigota e sarrafo, divergindo da nota e da guia florestal apresentadas, tanto em relação ao volume quanto ao corte da madeira”.

Além disso, ainda segundo a PRF, foi questionado sobre a rota a ser percorrida e a ´possibilidade é de que a mercadoria teve origem em cidade próxima à Altamira e não de Sergipe. “Tendo em vista que o caminho que o veículo estava a percorrer aumentaria o trajeto em cerca de 800 km, com rodovias em grande parte sem asfalto e com vários pontos de atoleiro, devido às chuvas – o que mostra não ser razoável escolher esse trecho para ir do Mato Grosso para Sergipe passando pelo Pará. Considerando isto, é bem provável, que a origem da mercadoria seja de alguma cidade próxima à Altamira”, afirmou a PRF.

A partir dos flagrantes de crime ambiental, os condutores dos caminhões foram detidos e liberados, após a assinatura de Termo Circunstanciado de Ocorrência. Os veículos com as cargas foram apreendidos e disponibilizados ao órgão ambiental competente.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios