Prisão de ex-senador acusado de operar propina para campanha de Helder Barbalho tem repercussão nacional

A prisão do ex-senador Luiz Otávio Campos pela Polícia Federal, na manhã desta quinta-feira, 9, teve grande repercussão no noticiário nacional, com destaque no jornal O Estado de São Paulo, no portal G1, da Rede Globo, e no noticiário televisivo da própria emissora. No Bom Dia Brasil a reportagem foi clara ao informar que a causa a prisão de Campos foi operação de caixa dois em 2014 para o então candidato a governo do Pará, Helder Barbalho, e que agora é o atual governador.

A notícia do Bom Dia Brasil foi reprisada no noticiário do canal Globo News, exibindo ainda o vídeo (assista abaixo) do momento em que a PF chega à casa do ex-senador do MDB, o partido de Helder Barbalho.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara da Justiça Eleitoral, na capital paraense. Ao todo, a PF cumpriu seis mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão temporária Belém; Palmas, capital do Tocantins; e Brasília, no Distrito Federal. Nos três estados foram cumpridos busca e apreensão, e no Pará, além de busca e apreensão, também a prisão temporária do ex-senador do MDB.

Delação – A investigação teve início a partir da colaboração premiada feita por executivos da empresa Odebrecht, os quais relataram o pagamento de R$ 1,5 milhão, através de Caixa Dois, para a campanha de Helder Barbalho ao Governo do Estado do Pará, nas eleições de 2014. Segundo o depoimento dos executivos foram realizadas três entregas, nos valores de R$ 500 mil reais cada, nos meses de setembro e outubro de 2014, sendo que o recebimento teria sido intermediado pelo ex-Senador da República Luís Otávio, ligado à Helder e Jader Barbalho.

Assista o vídeo do momento em que a PF chega à casa do Senador

Fonte: Roma News

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios