Recomeça julgamento do fazendeiro acusado de matar sindicalista no interior do Pará

O julgamento do fazendeiro Décio José Barroso Nunes foi retomado na manhã desta quarta-feira, 14, no Fórum Criminal, no bairro da Cidade Velha, em Belém. A sessão foi suspensa nesta terça-feira, 13, pela juíza Ângela Alice Alves Tuma, após mais de 10 horas de julgamento.

O homem é acusado de ser o mandante do assassinato do sindicalista José Dutra da Costa, conhecido como “Dezinho”. Ele já havia sido julgado e condenado, em 2014, a 12 anos de prisão, mas recorreu da decisão e teve o júri anulado.

Dezinho era presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Rondon Pará, e lutava pela desapropriação de terras para a reforma agrária na região. Segundo entidades ligadas aos direitos humanos, ele foi morto no dia 21 de novembro de 2000, no município, na Região Sudeste do Estado, por denunciar práticas de trabalho escravo e apoiar famílias do Movimento de Trabalhadores Rurais Sem Terras (MST).

Roma News

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios