Segup avalia prorrogação de lockdown em municípios paraenses

De acordo com a Secretaria, os municípios que aderiram a medida de restrição posteriormente devem ter o lockdown estendido.

O lockdown nos municípios de Abaetetuba, Cametá, Canaã dos Carajás, Capanema, Parauapebas e Santarém deve ser prorrogado, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Pará (Segup). Os seis municípios aderiram a medida após o dia 7 de maio, quando o lockdown foi estabelecido em outras dez cidades do estado.

De acordo com a Segup, um estudo detalhado está sendo realizado para avaliar a situação de cada um dos dez municípios e verificar se há necessidade de prorrogação do lockdown nos municípios. O lockdown começou a vigorar no dia 7 de maio nos municípios de Belém, Ananindeua, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará, Santa Izabel do Pará, Castanhal, Santo Antônio do Tauá, Vigia de Nazaré e Breves. A medida de restrição foi prorrogada até o dia 24 de maio.

Nesta quinta-feira (21), o Pará ocupou o terceiro lugar do ranking nacional de isolamento social, com 48,6% da população em suas casas. Nas 16 cidades onde ocorre o lockdown, os índices foram: Belém (50,3%), Ananindeua (47,9%), Marituba (45,8%), Santa Izabel (44,2%), Santa Bárbara (47,4%), Benevides (48,7%), Castanhal (47,2%), Vigia (50,1%), Santo Antônio do Tauá (47,2%), Breves (54,6%), Abaetetuba (53,1%), Parauapebas (50,3%), Cametá (49,6%), Capanema (48%), Santarém (51,8%), Canaã dos Carajás (47,3%). Todas as médias registradas estão distantes da recomendada pela Organização Mundial da Saúde, que é de 70%.

No dia 18 de maio, o prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho anunciou que um grupo formado por representantes da prefeitura, empresários e trabalhadores se reuniu para traçar um plano de retomada das atividades econômicas na cidade. No dia seguinte, o prefeito anunciou que após o término do lockdown, Belém retornaria com suas atividades, flexibilizando a abertura do comércio não essencial.

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios