BrasilDestaqueGeral

Transferido para presídio federal, Marcola ficará preso em regime diferenciado pela 9ª vez

É a primeira vez que chefe de facção criminosa vai para o RDD fora do estado de São Paulo. Ele está preso desde 1986 e condenado a 330 anos de cadeia.

A transferência de Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, de Presidente Venceslau para o sistema penitenciário federal, realizada na manhã desta quarta-feira (13), representará a nona vez, desde 2002, em que o chefe da maior facção criminosa paulista ficará isolado dos demais detentos.

É a primeira ocasião, no entanto, que ele cumprirá 60 dias de RDD (Regime Disciplinar Diferenciado) fora do Estado de São Paulo. É o que apontam dados do Boletim Informativo do Sistema Gestão Penitenciária paulista, obtidos com exclusividade pela GloboNews.

Não foi divulgado para qual dos cinco presídios federais do país Marcola foi transferido.

De acordo com o Boletim Informativo, Marcola foi para o RDD pela primeira vez no dia 22 de novembro de 2002, mais de um ano antes de a Lei Federal nº 10.792 instituir o Regime Disciplinar Diferenciado em todo o país, em dezembro de 2003. Isso se deu com base em uma Resolução SAP nº 26, expedida pelo então secretário da Administração Penitenciária, Nagashi Furukawa.

As regras do RDD foram endurecidas ainda mais pela Portaria nº 157, publicada nesta quarta-feira, pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro.

Marcola ficou 180 dias em seu primeiro RDD. Nas sete vezes seguintes em que ficou isolado, entre os anos de 2003 e 2018, ele alternou períodos de 60 dias a 360 dias isolados dos outros presos. Em todas as oito ocasiões em que ficou nesse regime, Marcola ficou detido na penitenciária de Presidente Bernardes, no interior paulista, a única do estado equipada para custodiar detentos nessa modalidade de cumprimento de pena.

Fonte: G1

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios