Tribunal Regional Eleitoral do Pará rejeita contas do ex-deputado Wladimir Costa

Gastos da campanha do ex-parlamentar ao Senado em 2018 foram analisados em julgamento

As contas do ex-deputado federal Wladimir Costa, do Solidariedade, foram rejeitadas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), em sessão realizada terça-feira, 15. O relator, juiz Amílcar Roberto Bezerra Guimarães, analisou os gastos da campanha do ex-parlamentar ao Senado Federal nas eleições de 2018. O plenário determinou, por unanimidade, que o ex-deputado devolva R$ 60 mil ao Tesouro Nacional.

Antes de emitir seu voto pela rejeição das contas, o juiz Amílcar Bezerra destacou que foi dado a Wladimir Costa dez dias a mais de prazo complementar para que fossem declaradas informações sobre as sobras financeiras de campanha. A determinação, no entanto, não foi cumprida.

Marcos Antônio de Souza, advogado de Wladimir Costa, informou que a defesa aguardará a publicação da decisão da Justiça para se manifestar, o que poderá ser feito via imprensa. O advogado também afirmou que o ex-deputado não é culpado pelo descumprimento do prazo.

Em 2016, Wladimir foi condenado a perda de mandato pelo Tribunal. A Corte julgou a arrecadação e gastos ilícitos na campanha eleitoral do deputado. Wladimir Costa declarou que gastou R$ 642.457,48 durante sua campanha à Câmara Federal, mas segundo o Ministério Público do Pará (MPPA), o candidato deixou de declarar

As contas do ex-deputado federal Wladimir Costa, do Solidariedade, foram rejeitadas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA), em sessão realizada nesta terça-feira, 15. O relator, juiz Amílcar Roberto Bezerra Guimarães, analisou os gastos da campanha do ex-parlamentar ao Senado Federal nas eleições de 2018. O plenário determinou, por unanimidade, que o ex-deputado devolva R$ 60 mil ao Tesouro Nacional.

Antes de emitir seu voto pela rejeição das contas, o juiz Amílcar Bezerra destacou que foi dado a Wladimir Costa dez dias a mais de prazo complementar para que fossem declaradas informações sobre as sobras financeiras de campanha. A determinação, no entanto, não foi cumprida.

Marcos Antônio de Souza, advogado de Wladimir Costa, informou que a defesa aguardará a publicação da decisão da Justiça para se manifestar, o que poderá ser feito via imprensa. O advogado também afirmou que o ex-deputado não é culpado pelo descumprimento do prazo.

Em 2016, Wladimir foi condenado a perda de mandato pelo Tribunal. A Corte julgou a arrecadação e gastos ilícitos na campanha eleitoral do deputado. Wladimir Costa declarou que gastou R$ 642.457,48 durante sua campanha à Câmara Federal, mas segundo o Ministério Público do Pará (MPPA), o candidato deixou de declarar R$ 149.950 em despesas de material gráfico, além de mais de R$ 100 mil em despesas efetuadas entre julho e setembro do ano eleitoral de 2014, que não constam na prestação de contas. O deputado também recorreu da decisão.

Já em 2017, Wladimir Costa foi condenado por unanimidade, também pelo TRE-PA, por abuso de poder econômico e gastos ilícitos na campanha eleitoral de 2014. Na ocasião, ele recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

R$ 149.950 em despesas de material gráfico, além de mais de R$ 100 mil em despesas efetuadas entre julho e setembro do ano eleitoral de 2014, que não constam na prestação de contas. O deputado também recorreu da decisão.

Já em 2017, Wladimir Costa foi condenado por unanimidade, também pelo TRE-PA, por abuso de poder econômico e gastos ilícitos na campanha eleitoral de 2014. Na ocasião, ele recorreu ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Artigos relacionados

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios